Reviews

Análise: Motorola Edge 30 Pro vale a pena?

Oficializado no Brasil em Fevereiro desse ano, o Motorola Edge 30 Pro chamou bastante atenção dos consumidores com seu conjunto de hardware. No entanto, nossa equipe testou o produto e constatou que existem tanto pontos positivos como negativos dele. Confira a seguir a nossa análise completa e descubra se vale a pena comprá-lo!

Pontos Positivos

Tela & Desempenho

Ao ligar o Motorola Edge 30 Pro, já ficamos impressionados com a excelente qualidade da tela. Afinal, o modelo abriga um painel OLED FHD+ de 6.7 polegadas que suporta HDR10+ e suporta taxa de atualização de 144 Hz. Como resultado, entrega ótima fluidez ao navegar pelos apps e principalmente ao jogar. Além disso, trata-se de uma excelente opção para quem curte assistir vídeos no smartphone.

Outro ponto em que o Edge 30 Pro agrada é em seu desempenho. Para quem não sabe, o aparelho possui o mais avançado chip Snapdragon 8 Gen 1 da Qualcomm aliado a 12GB de RAM e 256GB de espaço interno. Na prática, o modelo é capaz de executar qualquer app com excelente fluidez. Ele ainda consegue rodar qualquer game da Play Store com excelente desempenho gráfico.

Garantia & Sistema

Seguindo o exemplo de outras fabricantes como a Infinix, a Motorola também está oferecendo 2 anos de garantia de fábrica para quem comprar o Edge 30 Pro. Apesar de não reparar danos físicos, a garantia de 2 anos cobre danos de hardware e promete ajudar caso o aparelho apresente algum defeito dentro desse prazo.

Outro ponto positivo do aparelho é seu sistema operacional limpo e organizado. Apesar de ter um aspecto bem próximo ao Android puro, a interface da Motorola traz vários recursos embarcados como o Modo Ready For, que transforma o celular facilmente em um desktop móvel. Para isso, basta somente plugar o USB-C na HDMI do monitor e aproveitar os recursos. . Além disso, o carregador rápido de 68W presente na caixa carrega a bateria com pouco mais de 40 minutos de tomada.

Pontos negativos

Atualizações & Leitor de digitais

A primeira derrapada da Motorola para esse smartphone está em termos de atualizações de software. Diferente de outras empresas como a Samsung que oferece até 5 anos de suporte, a Motorola garante apenas 2 anos de atualizações para o Edge 30 Pro. Certamente, uma grande decepção levando em conta o excelente hardware que esse modelo apresenta.

Outro ponto em que ficamos decepcionados com o Edge 30 Pro é a localização do seu leitor biométrico. Em primeiro lugar, a Motorola poderia ter utilizado um leitor de digitais no display, uma vez que telas OLED suportam essa tecnologia. E segundo, a posição do leitor na lateral está muito alto e fora do padrão que outras fabricantes utilizam, tornando seu uso bem desconfortável no dia a dia.

Veja também:

Bateria & Construção

Apesar de der considerado um produto premium, o Edge 30 Pro tem alguns problemas e um deles é a sua autonomia de bateria. Com capacidade máxima de 4.800 mAh, ela dificilmente chega ao final do dia com apenas uma carga. Por exemplo, em nossos testes alcançamos entre 5 e 6 horas de tempo de tela ligada, algo decepcionante principalmente para quem joga no celular.

Construção é mais um ponto em que o Edge 30 Pro poderia ser melhor. Não conseguimos compreender como um aparelho que custa acima de 6 mil reais não trouxe uma proteção IP68 contra água e poeira. Além disso, a Motorola também quis economizar na construção lateral e utilizou plástico ao invés de metal.

Câmeras

O Motorola Edge 30 Pro parece impressionante ao citarmos sua ficha técnica de câmeras. Afinal, existe um sensor frontal de 60MP, uma lente principal traseira de  50 MP com OIS, uma câmera ultrawide de 50 MP e uma sensor para profundidade de 2 MP. No entanto, os resultados na prática não são tão agradáveis como esperado.

No caso da câmera frontal, ela até entrega boas selfies. Porém, dependendo da iluminação acaba registrando cores um pouco lavadas. Já na traseira, a lente principal até captura vídeos em até 8K e conta com estabilização óptica de imagem, que entrega boas fotos, mas nada de impressionante. 7

Além disso, o sensor ultrawide também serve para capturar fotos macro. Contudo, o grande ponto negativo que encontramos nesse departamento foi a ausência da lente telefoto (zoom), algo presente na geração anterior.

Vale a pena o investimento?

Ao analisar as questões acima, você deve estar se perguntando se vale a pena comprar o Motorola Egde 30 Pro. Bem, pelo seu preço médio de R$ 6.500, ele está longe de ser uma boa escolha para a faixa de preço. Se aparecer em ofertas abaixo de R$ 4.000 começa a se tornar uma boa opção, principalmente para quem quer mais desempenho. No entanto, nossa equipe ainda acredita que seu antecessor (Edge 20 Pro) ainda é uma melhor escolha, principalmente por custar atualmente em torno de R$ 2.500.

Felipe Lupetti

Sou um entusiasta da tecnologia, especialmente em smartphones.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo