Pesquisar
Close this search box.

Seria esse o iPhone de baixo custo?

Um iPhone de baixo custo está movimentando as notícias envolvendo a Apple desde que surgiu a suspeita de que a empresa de Cupertino poderia lançar um iPhone “mais barato” a qualquer momento.

Apple-iPhone-baixo-custo-vazou

Imagens do possível design do aparelho vive sendo vistas pela web, mas o site Techdy garante que suas imagens são do aparelho que está em produção. As imagens revelam um aparelho em plástico, que seria o principal motivo para que o preço do aparelho conseguisse ser reduzido, com o símbolo da Apple e o nome iPhone na traseira, nada a mais. O design do suposto iPhone mais acessível dá uma leve lembrança com alguns aparelhos da Nokia, por conta do plástico que lembra bastante o usado em outros modelos da família Lumia da finlandesa.

Existem, também, quatro furos que seriam os alto-falantes, a entrada Lightning, que é o novo padrão dos dispositivos móveis da Apple, e o microfone, até aí nenhuma novidade. Como a Apple costuma padronizar muito o design usado nos seus produtos, não é tão surpreendente que o aparelho lembre o iPhone 5 e, mesmo usando um tipo de plástico, o site também diz que a pegada no dispositivo é boa e até o plástico usado oferece uma impressão de que é de melhor qualidade do que o que a Samsung usa.

Uma curiosidade no vídeo é que, no final, eles mostram um smartphone produzido por eles próprios que é muito semelhante ao tal iPhone de baixo custo, o Basic Bear. Uma cena bem suspeita é a ausência do botão Home na carcaça do iPhone, que no modelo baseado é visível um botão baseado nos atuais botões Home dos iGadgets. Parece suspeito?

Fonte da imagem e vídeo: Reprodução/Techdy

Publicado por:

Picture of Emanuel Leite

Emanuel Leite

Comentários:

Uma resposta

Deixe um comentário

Últimas Notícias
Notícias

O lado sombrio da IA: saiba quais os riscos do deepfake

Notícias

Infinix Zero 40 4G aparece em certificação antes do lançamento

Dicas

3 celulares da Motorola que fazem muito sucesso na Amazon

Notícias

Shopee e AliExpress antecipam cobrança da “taxa das blusinhas”