Reviews

Análise: Poco F3 5G com Snapdragon 870 compensa?

Lançado no começo de 2021, o Xiaomi Poco F3 chamou bastante atenção por seu excelente conjunto custo-benefício. Ele chega para concorrer com outros modelos do mercado como Moto G100 e Galaxy S20 FE. Mas será que vale a pena importá-lo da China? Descubra conferindo nossa análise completa!

Design & Conexões

Ao olhar o Poco F3 pela primeira vez, notamos todo o cuidado que a fabricante teve com seu design. Um dos mais bonitos da marca, ele possui parte traseira feita em vidro. No entanto, peca por trazer laterais em plástico ao invés de alumínio como outros concorrentes da faixa de preço. Além disso, sentimos a ausência de alguma classificação contra água.

Em conectividade, esse smartphone é bem atraente com seu suporte para redes 5G de última geração. Em suma, isso é muito interessante para quem pretende passar vários anos com o aparelho, pois já terá um dispositivo pronto para o 5G quando ele estiver disponível. A fabricante também adicionou um sensor infravermelho que o torna capaz de controlar outros dispositivos. Entretendo, a entrada híbrida para chips de operadora não permite que o usuário utilize dois chips + cartão microSD de forma simultânea.

Bateria & Hardware

Assim como outros modelos da faixa de preço, o Poco F3 possui uma bateria com capacidade de 4.520 mAh. Embora não seja uma bateria surpreendente em números, o carregador incluso na faixa eleva a carga de 0% a 100% em menos de 1 hora. Em nossos testes, o aparelho conseguiu chegar ao final do dia com apenas uma carga. Portanto, ele promete não decepcionar nesse quesito.

Veja também:

Passando para o departamento de hardware, ficamos bem satisfeitos ao testar o chipset Snapdragon 870 presente no dispositivo. Com clock máximo de até 3.2 GHz, o smartphone é capaz de rodar qualquer jogo ou aplicativo. Além disso, a presença da GPU Adreno 650 junto com 8GB de RAM e 256GB de armazenamento completam a lista de hardware para uma experiência de uso incrível.

Tela & Câmeras

A tela do Poco F3 é outro ponto alto e isso é claro ao olhar para ela. Em termos técnicos, o display tem 6.7″ e conta com tecnologia Super AMOLED, que entrega cores vibrantes e nível de brilho superior. Ele também suporta taxa de atualização de 120 Hz, que entrega maior fluidez ao navegar entre os apps e jogar no smartphone. Além disso, inclui resolução lata Full HD+ e excelente aproveitamento frontal para a faixa de preço.

Certamente, câmeras não é o grande destaque desse modelo. Mas isso não significa que ele traga câmeras de baixa qualidade. Em suma, o modelo abriga um sensor principal de 48MP (f/1.8), ultrawide de 8MP (f/2.2) e um sensor macro de 5MP. Por outro lado, conta com uma câmera frontal para selfies de 20MP (f/2.5).

Na prática, o grande ponto negativo do departamento de câmeras é a ausência de estabilização óptica de imagens no sensor principal de câmera traseira. As fotos tiradas em boa iluminação apresentam boa qualidade, inclusive as selfies. No entanto, fotos em baixa luz são bem comprometidas com baixo nível de detalhes. Confira abaixo alguns exemplos de fotos tiradas com o smartphone!

Sistema

Em sistema, o Poco F3 roda a interface MIUI 12.5 baseada no Android 11. Ela possui um aspecto limpo, similar ao Android puro e inclui vários recursos embarcados. Por exemplo, encontramos a possibilidade de duplicar apps como WhatsAPP e Facebook sem a necessidade de baixar apps de terceiros. Traz também o recurso “segundo espaço”, que é similar ao pasta segura da Samsung. Além disso, oferece a possibilidade de colocar senhas individuais para cada app.

Vale a pena o investimento?

O Poco F3 já surgiu em promoções por menos de R$ 1.500. Ao conseguir obtê-lo nessa faixa de preço, a taxa padrão da Receita fica entre R$ 150 e R$ 400. Assim, mesmo com as taxas e multas que talvez venha a receber, o Poco F3 é um excelente investimento para quem procura um bom smartphone para jogos e para uso diário.

Felipe Lupetti

Sou um entusiasta da tecnologia, especialmente em smartphones.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo